Cacau Corazza: Uma derrota por besteiras

Confira aqui no INfoesporte a coluna de Cacau Corazza

Por INfoesporte

06/06/2017 - 23h32

Compartilhe:

Tamanho da letra: A- | A+

UMA DERROTA POR BESTEIRAS

Figueirense e Internacional entraram em campo na noite desta terça-feira (06), em um confronto direto e quem levou a melhor infelizmente não foi o time Alvinegro. Uma noite em que o Furacão fez uma boa partida, mas que cometeu falhas bobas e deixou escapar a vitória.

O Internacional, time de um velho conhecido do Furacão, o Guto Ferreira, entrou na partida sem seis titulares e conseguiu abrir o placar aos 15 minutos do primeiro tempo, mas fora isso não foi uma equipe agressiva, o Figueira colocou pressão e se sobressaiu na partida, tanto que empatou com um cruzamento de Dudu Vieira, que tem jogado bem, para Henan. O time do Estreito voltou a jogar melhor nesta quinta rodada, depois das duas últimas derrotas, mas mesmo se impondo e chegando mais ao gol, o Figueira não conseguiu a virada e aquele ditado no futebol se fez verdade, quem não faz leva e foi aí que o Inter levou a melhor.

Apesar de ter feito um bom jogo, pressionando, rodando bola e não recuando, mesmo perdendo, o Figueira acumula a terceira derrota consecutiva, o que complica a situação no Orlando Scarpelli. Uma equipe que está crescendo em qualidade e troca de passe precisa cuidar nos detalhes, não pode se desarrumar no contra-ataque dos adversários, a zaga precisa voltar a se firmar e a trazer segurança a equipe.

No campeonato da Série B não adianta jogar bem e sair sem os três pontos conquistados. É preciso arrumar a casa e correr atrás do prejuízo. Dois jogos em casa e duas derrotas não agradam em nada o torcedor que quer o acesso. E se não vence em casa, é preciso buscar os pontos fora.

DAR SEQUÊNCIA

A primeira vitória do Avaí, na Série A, veio contra o Sport e não foi só isso que mudou no campeonato para o time do Sul da Ilha. O técnico Claudinei Oliveira fez mudanças, que já eram necessárias acontecer, e isso deu resultado. A entrada de Juan, um dos estreantes da manhã do último domingo (04), deu mais qualidade a equipe, trocas de passe e agilidade. Outro que conduziu a equipe para a vitória e para segurar os três pontos foi Simião, um volante que sabe marcar, mas ataca e busca jogo, não fica parado esperando a bola chegar.

O que não deu para entender foi a mudança do Avaí do primeiro para o segundo tempo contra o Sport. Na primeira etapa o time foi aguerrido, mostrou um futebol que estava devendo desde o fim turno do Catarinense. Era defesa e ataque funcionando com a ligação do meio, tanto que em uma oportunidade Rômulo conseguiu aproveitar e fazer o único gol da partida. Só que comparando com a segunda etapa, o Leão mudou a postura, cometeu falhas infantis e não soube aproveitar as oportunidades de gol. Mas mesmo com essa mudança em campo, o time conseguiu conquistar os três pontos e respirou um pouco no Campeonato.

E se o Avaí quer se manter na Série A, a próxima pedreira é o Atlético Mineiro, nesta quarta-feira (07), às 19h30, no Independência. Sem Junior Dutra e Judson, o técnico Claudinei Oliveira vai ter as opções de Simião no meio e Denilson ou Diago Tavares no lugar do atacante. Tavares tem entrado bem e mostrado uma melhor fase do que Denilson, além de dar agilidade a equipe e que deve ser a escolha para estar com Rômulo em campo.

Querer a permanência na elite do futebol brasileiro é saber aproveitar a fase dos adversários. Assim como o Avaí teve a chance de vencer contra o São Paulo, tem a possibilidade contra o Galo, que ainda não se encontrou no Campeonato. Não vai adiantar vencer apenas em casa, é jogar na casa do adversário sem recuar e sem teimosia.

PUBLICIDADE

Compartilhe:

0 Comentários para:

Cacau Corazza: Uma derrota por besteiras

Comentários

  • Nenhum Comentário

Comentar









INFOESPORTE - © Copyright 2011 - Todos os direitos reservados